Campeonato de futebol é SUSPENSO

0
12

O esporte amador de Augusto Pestana já viveu seus anos de ouro,
onde o futebol, um dos eventos mais apreciados no município, reunia as comunidades do interior e assim formavam-se os clubes, alguns que existem até hoje.
Porém, nos últimos anos, o futebol vem caindo de patamar, tanto que na edição de 2018 não houve campeão e o campeonato de 2019, que terminaria esse ano, foi suspenso.
O tema “esporte” entrou em discussão, no dia 02, na Sessão da Câmara de Vereadores do município. Os assuntos que ganharam destaque foram a falta de segurança, a má organização – que já vem deixando a desejar há alguns anos – e a falta de punições severas.
O vereador Alex Borgmann leu, em sessão, a Ata do dia 27 de janeiro, do CMD, onde na mesma constava a reunião das 4 equipes finalistas do campeonato de futebol amador.
Na ocasião, foi decidido que o retorno dos jogos só aconteceria se tivesse a presença da Brigada Militar no Centro Esportivo Guilherme Klamt.
Na sequência, tomou poder da palavra o vereador Sandro Callai, o qual disse que o nosso esporte precisa dar um salto de qualidade, porém esse processo envolve todos, desde CMD, Conselho do Esporte e, principalmente os atletas e dirigentes.
“Como representante da população, como atleta e dirigente, acho que todos têm sua responsabilidade. Vem desde o órgão organizador, que é o CMD, assim como o Conselho, mas também, eu vejo um ‘pouquinho’ de falta de responsabilidade, um ‘pouquinho’ de
mais coerência das pessoas que estão envolvidas lá, que
são os dirigentes e atletas.
Pra começar a gente tinha que rever, nada contra as pessoas que estão ali, mas o Conselho naturalmente, eu sei por que eu fui, e eu sofri pressão por que eu tinha vínculo com uma equipe. Eu sei como que acontece dentro da política, quando se vai formar um Conselho, já
a pressão para colocar pessoas para representar alguma entidade e de alguma forma atender as reivindicações que aquela equipe quer”.
Callai finalizou frisando que o regulamento é feito em cima de opiniões de cada equipe, onde de alguma forma as brigas dentro e fora de campo acabam ficando “de fora” das regras e acabam sendo decididas em reuniões, que não decidem nada, exemplo do ano passado.
Voltando na época em que o futebol era a alegria da comunidade pestanense, o vereador Chico Weiler, lembrou que em sua época à frente do CMD o campeonato reunia 32 equipes e não precisa da Brigada Militar. Para Weiler, a falta de punições mais duras resolve-
ria, em parte, a atual situação.
“O que está faltando? Nós incluímos e acho que foi tirada do regulamento uma pena progressiva. Pelo amor de Deus, você é punido três meses, seis meses, um ano, dois anos e continua sendo punido, chega. Nós fizemos o seguinte, a pena progressiva até dois anos, depois de dois anos está automaticamente banido do esporte.Só me parece que essa pena foi tirada do regulamento, porque alguém achava que não precisava, as coisas estavam melhorando. Tem que ter um regulamento mais pesado e os que agem ali dentro serem mais firmes”.
O vereador Gilberto Zardin defendeu a liberdade de expressão e fez um breve comentário sobre o assunto, onde disse que se as regras fossem mais rigorosas, o resultado, felizmente, também seria melhor,
além de sugerir um “pulso” mais firme por parte de CMD, para que algumas situações sejam evitadas.
Entre os vereadores que abordaram o assunto do esporte amador, Alex Borgmann foi um dos que mais discutiu o assunto. Em sua fala,
ele frisou que os problemas não estão dentro de campo, mas em situações que ocorrem em torno das quatro linhas, as quais ficam sem
punições.
“Nós estamos pedindo o mínimo, num evento no município, aonde vai 1.500 pessoas. Uma hora e meia, nada mais. Se isso for pedir muita coisa, então não faça, não faça porque não tem condições”.
Borgmann falou diversos temas relacionados ao futebol, onde fez criticas ao Poder Público.
“A Administração não decide e vamos fazer o que? Vamos deixar acontecer? Está escrito que vai acontecer. O ano passado aconteceu. Nós fizemos uma reunião, um dia antes, aqui na prefeitura, com o prefeito, com o tenente, com o Everton, já que o Miguel não estava, e ele disse ‘não vai dar nada’. Não deu nada porque nós corremos se não tínhamos morrido. Por isso não deu nada”.
Na edição desse ano, algumas confusões dentro e fora de campo, trouxe o assunto novamente à tona, a falta de segurança durante as partidas de futebol, assim como nos jogos do campeonato de bochas, que recentemente também ocorreu algumas brigas.
Na última quarta-feira à noite, em reunião do CMD com as equipes finalistas foi decidido que o campeonato de 2019 que terminaria agora em março está suspenso. No dia de ontem, 5, aconteceu o Pregão
Presencial para contratação de serviços de arbitragem para o campeonato de futsal, vôlei misto e bocha. A empresa ganhadora foi da cidade de Panambi, a qual aguarda a homologação do processo.
Devido aos acontecimentos dos últimos anos fica a duvida no ar, qual será o futuro do esporte em Augusto Pestana? Será que haverá um campeão em ainda 2020? O que precisa acontecer para que o esporte
reviva seus anos de ouro?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui